São Paulo, SP 01415-906, Brasil
11 3158-1049
contato@fcnuvem.com.br

Diferentes tipos de nuvem

A FC Nuvem está sempre antenada nas novidades e benefícios que o mundo digital pode oferecer. E é claro que quer te deixar por dentro também! Nosso blog está aqui para te instruir e informar.

Diferentes tipos de nuvem

Na computação em nuvem encontramos diferentes modelos de serviço. O NIST (National Institute of Standars and Tecnology) que define os três principais modelos de serviços para computação em nuvem da seguinte forma: 

  • Infraestrutura como um serviço (Infrastructure as a Service – IAAS): Está relacionada ao oferecimento de uma infraestrutura de processamento e armazenamento por parte do provedor, de forma transparente, representando uma abstração da infraestrutura propriamente dita. 

Nesse cenário, o usuário não tem controle da infraestrutura física, mas através de mecanismos de virtualização, possui controle sobre as máquinas virtuais, o armazenamento, os aplicativos instalados e algum controle limitado sobre os recursos de rede; 

  • Plataforma como serviço (Platform as a Service – PaaS): É uma plataforma oferecida pelo provedor para o desenvolvedor de aplicativos que serão disponibilizados na nuvem, a plataforma na nuvem oferta um modelo de computação, armazenamento e comunicação para os aplicativos; 
  • Software como um serviço (Software as a Services – SaaS): É um tipo de serviço de aplicativo de interesse para grades quantidades de usuários que passam a ser hospedados na nuvem como uma alternativa ao processamento local e são oferecidos como serviços, que podem ser acessados pelos clientes através de aplicações como o browser. Todo o controle e gerenciamento da rede, sistemas operacionais, servidores e armazenamento é feito pelo provedor de serviços. 

Modelos de computação em nuvem: 

Exemplos de serviços disponíveis em cada modelo: 

Tipo Serviço Exemplo 
IaaS Rede Virtualizada Azure Virtual Network e Cisco EVN 
Armazenamento de Dados Google Cloud Storage e AWS S3 
Servidores Virtualizados AS EC2 e Azure Virtual Machines 
PaaS Insfraestrutura para desenvolvimento, implantação e execução de apicações Heroku e Google App Engine 
Plataforma para teste e / ou gerenciamento de aplicações Force.com e AWS Elastic Beanstalk 
SaaS Editor de texto, planilha e / ou apresentações Google Docs e Microsoft Office 365 
Comunicação (Videoconferencia e / ou reunioes) Cisco Webx e Citrix GoToMeeting 
Gestao de Processo de Negócio (BPM) IBM BPM on Cloud e Pega Cloud 

Quebra de Página 

A padronização de acesso e a comunicação entre os aplicativos se dá através de tecnologia de base, Web Browsers e Web Services. Web Browsers suportam as ofertas de SaaS e parte da oferta de PaaS. Web Services entram na composição da oferta de IaaS e parte da oferta de PaaS. 

Web Service é uma solução utilizada na integração de sistemas e na comunicação entre aplicações diferentes. 

Tipos de capacidades em nuvem e delimitação de escopo de responsabilidades das partes: 

Com o tempo, muitas aplicações experimentam mudanças na carga de trabalho, o aumento dessa carga, por vezes, corresponde ao sucesso de um negócio e esse crescimento impacta diretamente as aplicações de suporte. 

Por outro lado, sistemas antigos conhecidos como legados ou produtos descontinuados criam um problema de gerenciamento, pois acarretam custo de manutenção e perda de espaço a atendem a uma demanda muito inferior à sua capacidade. Em ambos os casos-aumentando ou diminuindo a carga de trabalho, os recursos de TI precisam ser alocados ou retirados de forma dinâmica o crescimento e o encolhimento podem ser planejados ou não. 

Os padrões de carga de trabalho podem ocorrer em qualquer modelo de adoção, seja em infraestrutura, plataforma, software ou em processos de negócios, a responsabilidade do cliente ou do provedor está diretamente ligada ao nível em que se terceirizou a carga de trabalho para a nuvem. Assim, quando a terceirização acontece apenas no nível de infraestrutura, a responsabilidade do provedor se limita apenas aos itens constantes dentro do IaaS, os demais itens como os ambientes de criação, execução de software e programas que rodam no ambiente, ficam sob responsabilidade do cliente.  

Quebra de Página 

O NIST desenvolveu uma figura ilustrativa que nos mostra como as responsabilidades são desenvolvidas dentro dos padrões de adoção de nuvem: 

Na primeira coluna, encontram-se as responsabilidades relativas às demandas de TI quando essas estão totalmente no controle do cliente, ou seja, trata-se de um modelo tradicional ou de implantação de uma nuvem totalmente privada. 

Na coluna de adoção de IaaS, as responsabilidades começam a ser divididas, pode-se perceber que os itens relacionados à rede, ao armazenamento, aos servidores e à virtualização passam a ser de responsabilidade do fornecedor de serviços de nuvem, já quando falamos de adoção pelo PaaS, a responsabilidade do cliente limita-se às aplicações e aos dados. A infraestrutura e as plataformas de desenvolvimento serão gerenciadas pelos fornecedores, por último, quando olhamos o modelo SaaS temos o completo gerenciamento dos recursos de TI pelo fornecedor, cabendo ao cliente apenas o monitoramento e o uso desses recursos. 

Autor: Charles Eugenio – Afiliado FC Nuvem 

LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/charles-eugenio-4a2b4117/ 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *